Em Cristo estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento. (Colossenses 2:3)


Ninguém vos engane com palavras vãs;
porque por essas coisas vem a ira de Deus
sobre os filhos da desobediência.
(Efésios5:6)
Digo isso a vocês para que não deixem que ninguém
os engane com argumentos falsos.
(Colossenses 2:4)

16 de maio de 2012

O que é pecado para a morte?


1 João 5:16 é um dos versículos mais difíceis do Novo Testamento: “Se alguém vir pecar seu irmão, pecado que não é para morte, orará, e Deus dará a vida àqueles que não pecarem para morte. Há pecado para morte, e por esse não digo que ore”. De todas as interpretações disponíveis, nenhuma aparenta responder todas as perguntas sobre esse versículo. A melhor interpretação pode ser encontrada ao comparar esse versículo com o que aconteceu com Ananias e Safira em Atos 5:1-10 (leia também 1 Coríntios 11:30). O “pecado para a morte” é proposital, deliberado, contínuo e que não expressa arrependimento. Deus, em Sua graça, permite que Seus filhos pequem sem puni-los imediatamente. No entanto, chega um ponto que Deus não mais vai permitir que um Cristão continue em pecado sem se arrepender. Quando se chega a esse ponto, Deus às vezes decide punir o Cristão, até mesmo ao ponto de tirar sua vida.

Foi isso o que Ele fez em Atos 5:1-10 e 1 Coríntios 11:28-32. Isso talvez seja o que Paulo descreveu à igreja de Corinto em 1 Coríntios 5:1-5. Devemos orar pelos Cristãos que estão em pecado. No entanto, talvez chegue um momento quando Deus não vai mais escutar as orações por um crente que continua a pecar e por quem Ele tem decidido que está na hora de receber sua punição devida. É difícil aceitar que às vezes é muito tarde para orar por uma certa pessoa. Deus é bom e justo, e devemos deixá-lO decidir quando é muito tarde e confiar em Seu julgamento.




Há Pecados para a morte ?

Na Bíblia são mencionados os pecados que são para morte e os que não são para morte. Todo pecado é transgressão diante de Deus, mas nem todo pecado é igual aos olhos de Deus. O pecado tem gradação, como se vê nas seguintes expressões bíblicas: “grande pecado” (Êx 32.30,31; 1 Sm 2.17; Sl 25.11; Am 5.12); “maior pecado” (Jo 19.11); “muito grande pecado” (1 Sm 2.17; 2 Sm 24.10 com 1 Cr 21.8,17); “muitos pecados” (Lc 7.47); “multidão de pecados” e “multiplicar pecados” (Ez 16.51; Os 13.2; Tg 5.20).

O pecado para morte (1 Jo 5.16), dependendo de sua gradação, traz como conseqüências: sofrimentos, morte espiritual, morte física e até perdição eterna. São, na verdade, tipos de pecado que levam o seu praticante à morte física prematura, como: desobediência deliberada (1 Rs 13.26); incesto (1 Co 5.5); murmuração (1 Co 10.5); profanação (1 Co 11.29-32); desvio (Jr 16.5,6); tentar a Deus (Nm 14.29,32,35; 18.22; 27.12-14); falsidade (At 5.10); rebeldia, não a momentânea, mas como estado (Ef 6.3), etc.

Esse tipo de pecado, como um estado, envolve transgressão e desobediência deliberadas, continuadas, conscientes. Os praticantes desse tipo de pecado estão mortos espiritualmente e somente poderão receber a vida caso se arrependam de verdade. E o verdadeiro arrependimento envolve intelecto, sentimento e vontade. O arrependimento de Judas, por exemplo, foi incompleto, posto que envolveu apenas a parte sentimental e possivelmente a intelectual, não resultando em ação, como no caso de Pedro. Na parábola dos dois filhos (Lc 15) vemos que o filho pródigo teve um arrependimento completo.

Quando ao que diz a Palavra de Deus sobre não orar pelos que pecam para a morte (1 Jo 5.17), isso não quer dizer que não devamos interceder por essas pessoas — pois o crente deve orar até pelos seus inimigos (Mt 5.44; Sl 109.4) —, mas somente que não haverá certeza de uma resposta. Isso porque o Senhor respeita o livre-arbítrio (2 Cr 15.2; 26.5; 1 Sm 2.30).

Vale ressaltar que qualquer pecado, mesmo perdoado, não nos exime dos seus maus efeitos, das suas conseqüências; do seu castigo (Sl 99.8; Nm 14.19-23). O perdão de Deus nos exime da condenação como filhos de Deus, porém o castigo tem a ver com o nosso aprendizado espiritual; há crentes que só aprendem “apanhando”. E mais: o tempo não apaga, não desfaz o pecado. Lembra-se da atitude do copeiro que teve o sonho interpretado por José? “Então, falou o copeiro-mor a Faraó, dizendo: Dos meus pecados me lembro hoje” (Gn 41.9). Medite também em 2 Coríntios 12.21. 




O que é pecado de morte referido na bíblia?

Vamos analisar alguns versículos Bíblicos sobre o assunto e ver se conseguimos entender o que o apóstolo João nos escreveu.
“Jesus, porém, ao ouvir isto, disse: Esta enfermidade não é para a morte, mas para glória de Deus, para que o Filho de Deus seja glorificado por ela.” – João 11:4
“Não sabeis que daquele a quem vos apresentais como servos para lhe obedecer, sois servos desse mesmo a quem obedeceis, seja do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça?” – Romanos 6:16
“Pois, quando estávamos na carne, as paixões dos pecados, suscitadas pela lei, operavam em nossos membros para darem fruto para a morte.” – Romanos 7:5
“Se alguém vir seu irmão cometer um pecado que não é para morte, pedirá, e Deus lhe dará a vida para aqueles que não pecam para a morte. Há pecado para morte, e por esse não digo que ore. Toda injustiça é pecado; e há pecado que não é para a morte.” – I João 5:16,17.
Analisando estes versos, podemos definir o pecado para a morte como todo pecado cometido por uma pessoa que não quer saber de Deus e que não está querendo se arrepender.
De que adianta nós orarmos para que Deus perdoe um pecado cometido por uma pessoa se ela mesma não ora nem se preocupa em pedir perdão a Deus?

Sabemos que qualquer pecado pelo qual não peçamos perdão a Deus ocasionará a nossa morte no final. Se nos apegarmos a um pecado, por menor que seja, e o praticarmos diariamente ou costumeiramente em nossa vida, sem pedir perdão a Deus, este é um pecado “para a morte”. Somente quando estivermos lutando contra este pecado e pedindo perdão e poder de Deus para vencermos este pecado é que o pecado não será para a morte, mas para que Deus mostre Sua força e vença este pecado em nós.

Resumindo: Se alguém está triste por pecar, se arrependeu e nos pede que ajudemos em oração, podemos orar, pois este pecado não é para a morte. Contudo, se alguém peca continuamente o mesmo pecado, não se arrepende e não pede perdão a Deus, não devemos orar para que Deus a perdoe, pois a atitude da pessoa faz com que o pecado seja para a morte.

De qualquer forma, podemos conversar e aconselhar a pessoa a pedir perdão, e orar a Deus para que O Espírito Santo atue nela, para que ela peça perdão e pare de pecar.






Nenhum comentário:

Postar um comentário